Definição de macroeconomia

A economia faz parte das ciências sociais e concentra-se na análise dos processos de produção, troca e consumo de bens e serviços . É sobre a disciplina que estuda a satisfação de necessidades ilimitadas com recursos escassos.

A macroeconomia , por outro lado, é o ramo da economia responsável pelo estudo dos sistemas econômicos de uma região ou país como um todo. Para isso, utiliza variáveis ​​coletivas, como renda nacional ou o nível de emprego, entre outros.

A macroeconomia, portanto, estuda a quantidade total de bens e serviços produzidos em um determinado território. É geralmente utilizado como ferramenta de gestão política , pois permite descobrir como alocar recursos (escassos) para impulsionar o crescimento econômico e melhorar o bem-estar da população.

Em geral, estudos macroeconômicos são realizados em nível nacional (isto é, eles estudam os fenômenos econômicos que ocorrem dentro de um país com base nas relações que os atores internos mantêm entre si e com o mundo externo).

Dada a multiplicidade e complexidade das relações econômicas, modelos macroeconômicos são usados ​​para facilitar estudos, que são baseados em hipóteses simplificadoras.

O oposto da macroeconomia é a microeconomia ; Nesse caso, a disciplina é responsável por estudar o comportamento econômico de agentes individuais (consumidores, trabalhadores, empresas etc.).

Tanto na macroeconomia quanto na microeconomia, os fatores estudados devem ser considerados a partir das relações que estabelecem: um consumidor também pode ser produtor e investidor , por exemplo.

O rendimento nacional

O valor monetário do total de bens e serviços que são produzidos dentro de um país ao longo de um ano é conhecido como Renda ou Renda Nacional. É importante notar que os produtos que não estavam disponíveis no mercado durante o período a ser analisado não devem ser adicionados, pois isso resulta em um erro chamado " dupla contagem ". Para não cair nesse problema, subtraímos a magnitude dos insumos que uma empresa compra e produz (os termos de origem inglesa referem-se a receitas e despesas , respectivamente).

Por outro lado, considera-se o valor agregado , conceito que se refere à série de gastos que envolvem a compra de materiais e serviços de terceiros, como o pagamento de salários aos funcionários, o aluguel de escritórios ou edifícios, e os juros derivados do capital que é emprestado, entre outros. Se todos os valores adicionados gerados por cada unidade de produção de um país forem adicionados ao longo de um ano, a receita gerada por ele é obtida.

A definição de renda nacional pode ser estabelecida a partir de três pontos de vista muito diferentes:

* como a magnitude dos serviços e bens que foram produzidos, certificando-se de não incorrer no conceito de dupla contagem;

* como o total dos rendimentos que são recebidos através dos diferentes fatores de produção ;

* como a soma das despesas, que podem ter sido destinadas à aquisição de bens de consumo ou investimento.

Isso ocorre porque o valor da produção total é distribuído (ou distribuído) entre todos e cada um dos fatores que fazem parte da produção. Dado que os produtos que uma empresa não pode vender, ou seja, que acumula em seus depósitos (conhecidos como estoque involuntário), é considerado como um investimento (de uma perspectiva econômica), é sempre possível verificar que a magnitude da poupança é igual à da investimento

Deve-se mencionar, finalmente, que os gastos públicos feitos pelo Estado para aquisição de bens e serviços (como equipamentos de informática, material de escritório, salários de funcionários e armas) também fazem parte da renda nacional.

border=0

Procurar por outra definição